Quem está por dentro do universo das cervejas já deve ter percebido que, recentemente, as opções de cervejas especiais em lata aumentaram no mercado brasileiro. Muita gente torce o nariz, mas tem até cervejarias que agora só envasam em lata. 

Mas as latinhas, infelizmente, ainda têm estigma de coisa barata e de pouca qualidade no Brasil. "Não consigo tomar em lata, é comum demais e a cerveja fica com gosto de metal", é o que mais ouço no empório. Bom, se a sua cerveja está com gosto de metal, a culpa é mais da cerveja do que da lata, mas já vamos chegar lá. 

Na verdade, a coitada da lata é o vasilhame perfeito. Ela protege a nossa querida cerveja da luz. Por ser uma bebida muito sensível, a exposição ao sol e à luz podem afetar a qualidade da cerveja depois de envasada, daí a maioria das garrafas serem de cor escura – o que minimiza o problema, quando na lata, o problema é eliminado.

Cervejarias nacionais, como Dogma, HocusPocus, Maniacs, Schornstein, Oceânica e EverBrew já aderiram às latas, que mantêm a cerveja fresquíssima. No caso dos estilosPilsen, IndiaPale Ale e New England IPA (um novo estilo de IPA, mais frutada e mais aromática), é a perfeição porque essas cervejas devem ser consumidas o mais rápido possível para não perderem a característica de frescor.Mas, claro, não são todas as cervejas que podem ser envasadas em lata, como é o caso daquelas que devem refermentar na garrafa – as latas podem explodir. 

O gosto de metal é mito. Na indústria todas as latas devem ser revestidas com um polímero a base de água para não permitir que a bebida entre em contato com o metal. 

Vamos a outros pontos positivos: a latinha é mais fácil de armazenar, não sofre tanto impacto (o que também prejudica a cerveja), não tem perigo de abrir acidentalmente ou secar como a tampinha. As latas também previnem a oxidação da cerveja porque são herméticas, não há espaço de contato com ar. 

Mais coisas boas: latas são mais leves e menores, sendo mais fáceis para carregar; não quebram (se você trabalha no bar e o pessoal exagerou na bebida, isso é muito bom) e também gelam mais rápido. E um ponto excelente para o planeta: o alumínioé muito mais fácile mais baratode reciclar do que o vidro. Ah, eé infinitamente reciclável. A taxa de reciclagem de alumínio atualmente é de 70%. O meio ambiente agradece.

Então, deixa de fazer birra com as latinhas e abre uma aí! O barulhinho é inconfundível e bom demais de ouvir! 

Texto e fotos: Maria Fernanda Gottardi


COMENTE ESSA HISTÓRIA