Itajaí vai receber pela terceira vez a Volvo Ocean Race, o maior evento de vela do planeta. A regata é considerada a Fórmula 1 dos Mares e reúne alguns dos principais nomes do esporte mundial em sete equipes. A cidade catarinense é a única parada do evento na América Latina. A próxima etapa da competição terá como destino final o Brasil, onde a campeã olímpica Martine Grael espera uma recepção calorosa. Os veleiros partem neste domingo (18) de Auckland rumo a Itajaí.

Campeã olímpica e filha do maior velejador do Brasil de todos os tempos, Martine Grael disputa esta edição pelo Team AkzoNobel – equipe holandesa. A atleta é a primeira brasileira a correr a Volta ao Mundo entre todos os nove representantes do país na história do evento e vive a expectativa de ter a melhor recepção de todas as etapas ao chegar a Itajaí.

“Os brasileiros são muito calorosos, tem muita gente torcendo e já recebi várias mensagens. Não consegui responder todas, mas eu gostaria muito de ver a Vila da Regata cheia na nossa chegada. Já estive em Itajaí em uma edição anterior e mesmo não competindo achei incrível e espero algo parecido”, ressalta.

A etapa vale pontuação dobrada e terá desafios pelos mares do sul como os limites de gelo, ondas gigantes e ventos fortes. O primeiro a contornar o Cabo Horn ganhará uma pontuação extra.

Troca de experiências em família

Embora esta seja a primeira vez de Martine na Volvo Ocean Race, o sobrenome Grael não é estranho nessa aventura de 83 mil quilômetros (45 mil milhas náuticas). Seu pai, Torben Grael - velejador olímpico mais bem sucedido do Brasil, com cinco medalhas, sendo duas de ouro - participou da Volta ao Mundo por três vezes, ganhando a edição 2008-2009 como comandante da Ericsson 4.

“Passei pelo Cabo Horn duas vezes velejando e de Auckland até lá não tem nenhum trecho de terra no caminho. Então, nada diminui as ondas e o vento predominante é muito forte e do oeste. Isso faz com que as ondas fiquem muito grandes e a temperatura da água também é bastante fria e gera nevoeiros. São condições duras de navegar”, explica Torben Grael, que já repassou as dicas para a filha estreante na competição.

O velejador que não compete nesta edição também ressalta a importância de Itajaí ser a sede do maior evento de vela do planeta. “A etapa de Itajaí tem um retorno muito bom dos velejadores que já estiveram na cidade nas paradas anteriores. Além disso, há muito interesse e envolvimento da cidade e da comunidade com a regata. O evento é muito importante para toda a região e esse ano conta com uma brasileira na disputa da competição”.

Itajaí na Volvo Ocean Race

A Vila da Regata brasileira ficará aberta ao público de 5 a 22 de abril de 2018 e a previsão é que os primeiros barcos cheguem ao litoral catarinense no dia 8 de abril. No dia 20 de abril será realizada a In-Port Race, uma competição que é realizada nos locais de parada. No dia 21, os barcos estarão abertos ao público e, no dia 22, será a partida das equipes de Itajaí rumo a New Port (EUA).

“É importante trocarmos informações pessoalmente com as equipes e coordenação do evento em outros países para Itajaí continuar sendo a melhor etapa da Volvo Ocean Race”, avalia o secretário de Turismo e presidente do Comitê Organizador da VOR Brasil, Evandro Neiva.

COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais