Cerca de um ano depois da desativação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Taquaras e com a implantação da rede coletora de esgoto, quando iniciou o processo de despoluição, a Lagoa apresentou as últimas sete coletas consecutivas (dias 02/10; 16/10; 30/10; 13/11; 27/11; 11/12; e 18/12) com o resultado da análise positivo, 80% abaixo de 800 Escherichia coli por 100mililitros, considerada como própria para banho.

Para um ponto analisado ser considerado próprio, um conjunto de cinco amostras coletadas no mesmo local são levadas em consideração, sendo necessário que tenham no máximo 800 Escherichia coli por 100mililitros. Após cinco coletas consecutivas, o resultado é obtido, o que foi confirmado com o monitoramento específico feito quinzenalmente na Lagoa pelo laboratório Beckhauser & Barros - credenciado no Instituto do Meio Ambiente (IMA) e acreditado no Inmetro.

“Historicamente há mais de 20 anos, a Lagoa era um ponto de balneabilidade negativo, porém, dentro do compromisso com as nossas águas, iniciamos o processo para despoluição com o complemento da rede coletora no local, a desativação da Estação de Tratamento de Esgoto, e as vistorias para garantir que os imóveis se conectassem à rede. Hoje comemoramos mais essa conquista para Balneário Camboriú, que agora possui todos os pontos das Praias Agrestes e da Praia Central como próprios para banho. E já podemos seguir com o processo para incluir Taquaras também na busca pelo selo Bandeira Azul”, disse o prefeito Fabrício Oliveira.

Além da desativação da ETE de Taquaras em fevereiro de 2019, que era considerada ineficiente e uma das responsáveis pela poluição da Lagoa há mais de 20 anos, Taquaras teve junto com Laranjeiras o complemento da rede coletora de esgoto implantada no início de 2018. Em dezembro de 2018, dos 122 imóveis vistoriados pelo Programa Se Liga na Rede da Emasa, 78 estavam com alguma irregularidade. Já em dezembro de 2019, 263 imóveis foram fiscalizados e apenas 18 tinham algum problema. “No período de um ano de fiscalização na localidade, com as orientações e após as novas vistorias do Programa, cerca de 80% de imóveis se conectaram à rede, resultado que contribuiu muito com o processo de despoluição”, completou o diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber.

COMENTE ESSA HISTÓRIA