Neste primeiro dia, dois locais foram lacrados, um na Avenida do Estado, no Bairro Ariribá e outro na Rua Áustria, no Bairro das Nações, ambos estão localizados no entorno da Bacia do Rio Marambaia. Ação contou com o apoio das Secretarias de Obras, Meio Ambiente, Saúde e Segurança.

"A ação de hoje faz parte de um cronograma de ações de revitalização do Rio Marambaia. Fizemos inspeções e agora estamos lacrando os esgotos irregulares. Peço que as pessoas que não estiverem conectadas a rede de esgoto da Emasa se adequem, porque vamos fazer outras ações como essa na cidade inteira", disse o prefeito Fabrício Oliveira.

Já foram mais de 24 mil imóveis inspecionados pelo Se Liga na Rede entorno da Bacia do Marambaia, que compreendem os bairros Pioneiros, Ariribá, Centro e Nações. Desse número, quase 40% possuem ligação irregulares de esgoto e 115 locais já foram multados. Aqueles que não forem regularizados serão lacrados. Além disso, para intensificar as fiscalizações, estão sendo feitas vídeo inspeções através de um robô na drenagem pluvial.

"Com o robô também conseguimos identificar o local que estava despejando o líquido esbranquiçado na rede pluvial e indo direto para o Rio Marambaia. O Se Liga Na Rede foi essencial para mapear os problemas, detectar e notificar quem está irregular e vai continuar até que cada um tenha feito a sua parte", disse o diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber.

Os moradores que tiverem os esgotos lacrados podem procurar a Emasa para se regularizar. A Autarquia Municipal está localizada na 4ª Avenida, nº 250. Dúvidas e informações pelo telefone 0800 643 6272 ou no Whatsapp da EMASA (47) 3261-0000.

Outras ações

Além dos lacres nas ligações irregulares de esgoto e a intensificação das fiscalizações, também serão feitas outras ações para revitalizar o Rio Marambaia. Uma delas está em processo de viabilidade e liberação, qué a construção de um emissário e os testes com o biorremediador, uma técnica rápida e imediata para a despoluição de rios. Para este, está sendo aguardada a liberação do Instituto de Meio Ambiente (IMA).

Uma alternativa em análise pelos técnicos da Emasa, com prós e contras, é a construção de uma Unidade Compacta de Tratamento (UCT), que funciona praticamente como uma estação de tratamento. O termo de referência está pronto e será encaminhado para avaliação do TCE. Posteriormente, deverá passar pela análise do IMA.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA