Uma das medidas da Secretaria Municipal de Educação (Semed) para garantir a inclusão de estudantes com deficiência nas salas de aula da rede municipal de ensino é o serviço de produção de material didático específico para alunos com deficiência visual. O trabalho é desenvolvido pelo Centro Municipal de Educação Alternativa (Cemea), por meio do setor de Produção e Adaptação de Material em Braile (Sepab).

Atualmente, oito crianças com deficiência visual de diferentes idades estão matriculadas em escolas municipais. Cada uma delas recebe um material específico, preparado pelas professoras que atuam no Sepab. Os temas são repassados pelos professores de cada aluno, conforme o andamento do planejamento didático e o ritmo de aprendizagem da criança.

No Cemea são produzidos mapas, tabelas, provas, atividades e também reproduzidos livros didáticos e literários. Para uma das alunas que está em fase de alfabetização, por exemplo, as professoras reproduziram o livro da Branca de Neve, com direito a ilustrações táteis.


Além de preparar o material para cada aluno, o Sepab ainda fornece máquinas de digitação em braile para os estudantes, com as quais respondem às atividades e tarefas escolares. Eles as utilizam durante todo o ano e ficam responsáveis pela manutenção.

Para a gerente de Educação Especial, Maria Luiza de Oliveira, este trabalho é de grande relevância, pois possibilita a efetiva aprendizagem e a inclusão. “A produção do Sepab garante a universalização do atendimento educacional especializado. Em 2018, por meio de projeto apresentado ao Fundo da Infância e Adolescência, o setor receberá recursos para a compra de equipamentos que qualificarão esta prática”, completa.

O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA