A marca tem nove franquias no Brasil e outras oito serão inauguradas nos próximos meses - entre elas, duas internacionais, em Londres, na Inglaterra, e em Calgary, no Canadá.

O empreendimento em Londres foi negociado durante um ano. O franqueado londrino é um empreendedor que estava no Brasil a passeio, gostou da cafeteria e investiu. A cafeteria será aberta no bairro Hempstead Heath.

Foi necessário um ano de conversas para finalizar cada detalhe, incluindo, uma viagem das sócias à capital inglesa para conhecerem de perto o local que abrigará o Café. Bruna e Paula também foram convidadas pelo governo da rainha a participarem do The Week, evento de empreendedorismo para empresas estrangeiras que acumulam indicadores de sucesso.

História semelhante ocorreu com o empreendedor canadense, que acredita que o Café irá combinar com Calgary, um grande polo econômico do país, cidade moderna, porém, próxima às Montanhas Rochosas e com diversos passeios românticos ao ar livre.  

O sucesso da marca pode ser explicado pela padronização rígida.  As irmãs dedicaram-se a pensar cada detalhe.

A inspiração da decoração, que também se reflete nos pratos, veio de Paris. As sócias desejam que os clientes se sintam na capital francesa dos sonhos, imaginada por casais, jovens e amantes do romantismo. Essa referência pode ser observada na delicadeza das cortinas, nos tons agradáveis no ambiente, na estampa das mesas e cadeiras, na música francesa, no atendimento, muito atencioso, e claro, no cardápio.

O cheirinho de croissant saído do forno perfuma levemente a cafeteria. São eles, os carros-chefes da casa, elaborados artesanalmente por uma francesa, moradora da cidade de Itapema, que os envia para todas as franquias do Brasil.

O menu é extenso, para ser consumido sem pressa. Sempre há novidades. Neste verão foram lançadas a taça "Merveille aux Fraises", com sorvete galak, suspiros, creme de leite, morangos e chantilly; a "Irish Whiskey Ice Coffee", com sorvete de chocolate, 'espresso', whiskey, cookies, calda de chocolate e chantilly, entre outras.

Os preços variam de acordo com cada franquia. Os croissants doces, agridoces e salgados estão entre os mais pedidos da marca. Puro, eles custam entre R$ 6 e R$ 8. Já nas versões recheadas, há o surpreendente croissant de chimia de pera com gorgonzola, que custa entre R$ 16 e R$ 18.

Antes dos pedidos serem levado às mesas, paninhos úmidos são entregues aos clientes para refrescarem suas mãos. Cada prato é uma obra de arte, decorados com flores, desenhos com canela e poesias.

O Café du Centre é um lugar de encontros, onde muita gente é pedida em casamento. Casais comemoram datas importantes, aniversários são celebrados. É lugar pra esquecer o celular, desfrutar sem pressa e apreciar a experiência da boa culinária.

Para manter o padrão de sofisticação e cuidado as irmãs são exigentes com os franqueados. Elas não aceitam investidores.

"Nós queremos famílias, casais ou mulheres empreendedoras que trabalhem na cafeteria, que conheçam e conversem com os clientes e façam do negócio seu propósito de vida", explicou Bruna.

A HISTÓRIA DA CAFÉ DU CENTRE

Tanto sucesso ainda surpreende as irmãs. Bruna trabalhava como psicóloga em um consultório e Paula como fotógrafa – em um estúdio que mantém. No final do expediente elas se reuniam em cafeterias em Porto Belo e Balneário Camboriú. Assim começaram a gostar de café. Foi então, que a tentativa de agradar o paladar virou ideia de negócio.

Apesar de algumas frases desestimulantes "vocês são loucas", "nunca vai dar certo", as irmãs apostaram tudo que tinham, que se resumia a vontade, força de trabalho e um carro de R$ 80 mil, que foi usado como capital inicial.

O jeito foi improvisar. O pai das empresárias cedeu a sala comercial. Ele construiu o encanamento e os três pintaram as paredes. Bruna desmanchou o guarda-roupas e nas madeiras plotou imagens da França, que conhecia apenas dos filmes e da imaginação. Onze mesas foram espalhadas pelo lugar.

O Café du Centre foi montado na rua Nereu Ramos, n°179, no Centro de Itapema. O espaço é aconchegante e feminino, com inspiração provençal e trilha francesa. O horário de funcionamento é o mesmo em toda a rede, de terça a domingo, das 15h às 20h para que as pessoas possam aproveitar à tarde ou o happy hour .

"Abrimos no dia 17 de abril de 2014. Era uma quinta-feira santa. Na sexta o movimento foi inexplicável. Sete meses depois havia filas de três horas. Famílias inteiras passavam à tarde nas calçadas, sentadas no meio fio", conta Bruna.

Foi pela angústia de ver os clientes na rua, que as irmãs procuraram a ABF (Associação Brasileira de Franchising). Cinco empresas foram indicadas, uma de São Paulo escolhida, e a primeira franquia foi aberta.

As opções do menu mostram outra preocupação da Café Du Centre: o fomento da economia local e o empoderamento das mulheres. Os cafés, servidos em taças caprichadas, acompanham algodão doce, feito por uma empreendedora que trabalha numa praça da região e agora tem uma fonte de renda a mais. Os ingredientes dos produtos são feitos por cozinheiros também das redondezas, que trabalham de acordo com os princípios de Paula e Bruna.

Os croissants são elaborados artesanalmente. Assim como as empanadas são feitas por uma cozinheira argentina - país de onde é importado o doce de leite, que recheia tortas e incrementa cafés, além das taças desconstruídas. Já o melado de cana usados nos doces é fornecido pelo tio, que também vive em Santa Catarina.

VÍNCULO COM OS CLIENTES

A Café du Centre acredita no poder de transformar. O novo mercado exige empresas humanizadas, capazes de gerar valores não monetários aos produtos, mas sensações e experiência positivas.

Baseado na gentileza, eficiência e qualidade, a Café du Centre é um local para que as pessoas possam passar o dia. Ficar à vontade. Desfrutar de boas companhias sem pressa. É um local para reunir famílias, amigos, casais ou colegas de trabalho. É um ambiente leve e feliz.

ONDE ENCONTRAR

http://www.cafeducentre.com.br

https://www.facebook.com/cafeducentreitp/?ref=br_rs (FACEBOOK MATRIZ)

COMENTE ESSA HISTÓRIA