O Município de Itajaí está na nona posição entre as cidades com melhor arrecadação por habitante no Brasil. Com uma população estimada em 215 mil habitantes e um montante arrecadado de R$ 1,576 bilhão, a arrecadação per capita de cada itajaiense é de R$ 7.303,78 por ano. Os dados foram levantados pelo Observatório de Informações Municipais e levam em consideração o ano de 2018.

Se avaliarmos o quanto a arrecadação reflete na qualidade de vida dos cidadãos, Itajaí tem um desempenho de destaque em relação aos demais municípios da lista. Dos oito municípios com melhor arrecadação por habitante, seis têm um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) menor que Itajaí. De acordo com os números levantados pela ONU em 2010, Itajaí tem um índice de 0,795 de IDH, ocupando a 56ª posição no Brasil.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico de Itajaí, Thiago Morastoni, o crescimento na arrecadação é reflexo da expansão econômica. “A recuperação do Porto e nossa capacidade logística irradiam para todos os setores de nossa economia. Com maior movimentação de recursos, também cresce o recolhimento dos impostos”, avalia o secretário.

“Esse crescimento é fruto dos investimentos do poder público, dos empresários e da confiança da população. O desenvolvimento dos últimos anos é devolvido à população em novos investimentos na educação, saúde, mobilidade urbana, enfim em qualidade de vida”, continua Thiago Morastoni.

Do montante arrecado, Itajaí investe acima do percentual previsto pela Constituição Federal nas áreas de Educação e Saúde. Os valores absolutos ultrapassam R$ 628 milhões nas duas secretarias, o que corresponde 48% do orçamento municipal.

Enquanto municípios como Niterói, Macaé e Maricá apresentaram crescimento na arrecadação devido aos valores pagos pela cadeia do petróleo, Itajaí tem uma economia diversificada e um desenvolvimento sólido. “Nosso crescimento é uma vertente crescente e constante. Com trabalho duro e investimentos temos condições de crescer ainda mais e reverter esses resultados na vida das pessoas”, conclui o secretário de Desenvolvimento Econômico de Itajaí. 

COMENTE ESSA HISTÓRIA