Desde abril, já foram realizadas abordagens nos bairros Cordeiros, Cidade Nova, Dom Bosco, Fazenda, Santa Regina, São Vicente e Ressacada. Além disso, todos os demais bairros da cidade também seguem sendo monitorados pela operação.

As apreensões seguem o disposto na Lei Municipal n° 6898/2018, que proíbe comercializar e utilizar linhas cortantes. Além de ter o material apreendido, o responsável está sujeito ao pagamento de multa equivalente a R$ 1.834,40 e ainda pode responder criminalmente.

Segundo o coordenador da Guarda Municipal de Itajaí, Marco Antônio Otávio, a GM fiscaliza os locais onde há incidência do uso de linhas cortantes e, no primeiro momento, recolhe os materiais. Todos os itens são encaminhados para destruição e os responsáveis pelos materiais são orientados.


Três vítimas das linhas cortantes foram atendidas pela GM

Três pessoas atingidas por linhas cortantes já foram atendidas pela Guarda Municipal durante a operação “Céu Limpo”. Duas mulheres tiveram ferimentos causados por linha cortante, uma no bairro Santa Regina e outra no São Vicente. O caso mais grave, porém, foi de um menino de cinco anos, no bairro Cidade Nova. Ele teve ferimentos no pescoço por linha chilena (mais cortante que o cerol, feita a partir do alumínio) e foi atendido pelos agentes.


Denuncie

Se você encontrar alguém soltando pipa com linha cortante ou mesmo preparando os materiais, como o cerol (mistura de cola e pó de vidro), deve acionar a Guarda Municipal pelo 153 ou no plantão 98811-9129 ou a Polícia Militar pelo 190. A recomendação é que as pessoas não soltem pipa no meio da rua ou mesmo em locais muito próximos à via. Devem-se evitar também locais próximos à fiação de energia elétrica.

COMENTE ESSA HISTÓRIA