As ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus já impactam positivamente entre os casos confirmados no município. Itajaí tem um índice de cura de 54% – acima da média estadual, que é de 51% atualmente. Dos 150 casos positivos registrados até esta terça-feira (12), 81 pessoas já estão recuperadas e são consideradas curadas. Além disso, a baixa taxa de letalidade pela COVID-19 (2% - 3 óbitos) demonstra a efetividade do tratamento oferecido na cidade para frear o número de mortes.

A análise dos casos confirmados em Itajaí mostra ainda que 61,3% das notificações foram em mulheres e 38,7% em homens. A faixa etária mais atingida pelo coronavírus é dos 30 a 39 anos. Porém, também há várias pessoas infectadas nas faixas dos 40 a 49 anos e dos 20 a 29 anos. Já os óbitos foram registrados em moradores de 53, 62 e 65 anos – todos eles tinham alguma comorbidade associada.

“A maior parte dos casos confirmados de COVID-19 em Itajaí são leves a moderados, que ficam em isolamento domiciliar. O registro de casos graves tem seguido a média prevista, que é de 15% do total de casos positivos, sendo que destes 3,5% a 6% geralmente necessitam de internação em UTI”, comenta a diretora da Vigilância Epidemiológica, Roseli Weber Pinto.

Os pacientes do município, quando necessitam ficar em isolamento clínico, ficam em média 10 dias internados. Já os casos graves, que ocupam leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), ficam em média de 4 a 6 semanas internados.

“O tempo de internação dos casos graves da COVID-19 é elevado, por isso a população precisa se conscientizar que manter o isolamento social é a melhor forma de evitar a propagação do vírus e uma maior contaminação das pessoas. Assim o sistema de saúde consegue absorver a demanda sem entrar em colapso”, afirma Roseli.

Estes dados são monitorados diariamente pela Secretaria de Saúde de Itajaí, por meio da Vigilância Epidemiológica. O acompanhamento permite traçar estratégias de controle do vírus e redução do impacto sobre o sistema de saúde, como, por exemplo, o uso obrigatório de máscaras para a população.


Casos por bairro

Outro dado, que até então não vinha sendo divulgado para preservar o sigilo dos pacientes, é a quantidade de casos confirmados por bairro. Porém, com o crescimento dos casos, fica mais difícil a identificação dos pacientes. Com isso, a Vigilância Epidemiológica passará a divulgar semanalmente os casos por bairro, como medida de prevenção e alerta para os moradores. Até o momento, os locais com mais casos registrados são: Centro (27), Cordeiros (25), Dom Bosco (20), Fazenda (14), Cidade Nova (12) e São Vicente (12).

“Isso não significa que porque meu bairro não teve casos eu não devo me cuidar. Toda a cidade precisa fazer sua parte, manter o distanciamento social, usar máscara e realizar as medidas de higiene das mãos e uso do álcool em gel”, completa a diretora Roseli.


Confira a lista de pessoas infectadas por bairro:

Centro - 27

Cordeiros - 25

Dom Bosco - 20

Fazenda - 14

Cidade Nova - 12

São Vicente - 12

São João - 8

São Judas - 5

Praia Brava - 5

Murta - 4

Imaruí - 4

Vila Operária - 3

Ressacada - 3

Espinheiros - 2

Itaipava - 2

Brilhante - 1

Cabeçudas - 1

Limoeiro - 1

Santa Regina - 1 

COMENTE ESSA HISTÓRIA