Itajaí está reforçando os cuidados preventivos contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Neste mês, a cidade chegou a 94 casos positivos de dengue, sendo 76 autóctones (contraídos no município), 11 importados, 4 em investigação do local de transmissão e 3 casos indeterminados. O número já é 38% maior que no ano passado, quando foram registrados 68 casos de dengue. Além das visitas de orientação nas casas, um mutirão de limpeza está sendo realizado nos bairros para reduzir a quantidade de focos do mosquito.

A partir da próxima segunda-feira (4), o mutirão de limpeza organizado pela Secretaria de Obras passará pelo Cordeiros – local com maior número de casos. Até o momento já são 35 casos registrados no bairro, principalmente nas localidades do Jardim Esperança e Jardim Progresso.

A ação da Secretaria de Obras começou no bairro Cidade Nova e já recolheu 248 toneladas de entulho. “Para reforçar as atividades de prevenção contra dengue, vamos deslocar o mutirão de limpeza do Cidade Nova para o bairro Cordeiros, onde mais casos. Infelizmente, teremos que realizar esta intervenção devido ao descarte incorreto de materiais em terrenos baldios”, comenta Sergio Rodrigo Rebelo Bang, diretor executivo da Secretaria de Obras.

Os moradores do Jardim Esperança e Jardim Progresso devem descartar os entulhos em frente de casa para recolhimento da Secretaria a partir de segunda-feira (4). Além do mutirão, os agentes de combate a endemias do município estão atuando diariamente para conter a proliferação do mosquito e evitar novos casos de dengue na cidade. No bairro Cordeiros, por exemplo, já foram realizados bloqueios com aplicação de inseticida UBV para diminuir a infestação de mosquitos adultos.

“Esta semana as chuvas iniciaram e isso se torna uma preocupação a mais, pois se existirem recipientes expostos eles irão acumular água, gerando novos focos. Pedimos que a população faça sua parte, eliminando materiais com água e aqueles que possam acumular, além de não jogar lixo em terrenos baldios”, reforça Lúcio Vieira, gerente de Controle de Zoonoses.

Os bairros Cordeiros e Fazenda são os mais afetados pela doença até o momento, com 35 e 28 casos registrados, respectivamente.  

COMENTE ESSA HISTÓRIA