Após realizar mais de 67 mil procedimentos, entre exames especializados e cirurgias de média complexidade, a Secretaria de Saúde Itajaí dará continuidade aos mutirões para zerar as filas de espera. Neste mês já foram iniciadas as cirurgias de escleroterapia com espuma: tratamento que elimina completamente as varizes e pequenos vasinhos com a aplicação de um medicamento injetado nas veias varicosas doentes, fechando-as e resolvendo o problema.

Atualmente, 1306 pessoas aguardam por consulta com cirurgião vascular. Os pacientes serão chamados para uma consulta com especialista em escleroterapia com espuma, que avaliará se a pessoa pode ou não realizar o procedimento. O mutirão iniciou no dia 07 de janeiro e já foram atendidos 15 pacientes pela clínica conveniada, a Viver 10.

Nesta semana também será iniciado o mutirão de videolaringoscopia, um exame de imagem em que o médico visualiza as estruturas da boca, orofaringe e laringe. A Secretaria firmou convênio para realização do exame, que vai atender 1.209 pacientes que estão na fila de espera.

Outros mutirões estão previstos para este ano para atender a demanda da população, como exames de ressonância magnética, tomografia, endoscopia, colonoscopia, ultrassonografia, doppler, ecocardiograma, espirometria etc.

Mutirões desde 2017

Quase 65 mil exames especializados e 2,7 mil cirurgias de média complexidade foram realizadas pela Secretaria de Saúde de Itajaí por meio de mutirões para ajudar a reduzir as filas do município. O total foi registrado entre janeiro de 2017 e novembro de 2018 em clínicas conveniadas e hospitais da região. O investimento foi em torno de R$ 8,2 milhões com recursos próprios.

“Os mutirões são muito importantes para conseguirmos reduzir a fila de exames e cirurgias do município, agilizando o atendimento à população em relação ao diagnóstico e ao tratamento”, avalia o secretário de Saúde de Itajaí, Emerson Roberto Duarte.

Os mutirões de exames e consultas iniciaram em maio de 2017 para zerar a demanda reprimida que havia desde 2013. Em 2017, foram feitos 29.360 exames de ressonância magnética, tomografia, doppler, ecocardiografia, espirometria, ultrassonografia, endoscopia, colonoscopia, entre outros, além de 924 consultas de dermatologia, neurologia e anestesiologia.

Já em relação às cirurgias de média complexidade, foram realizados 953 procedimentos de pacientes do município por mutirão.

Em 2018, o município deu continuidade à iniciativa, totalizando 35.634 exames de endoscopia, colonoscopia, ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia, entre outros. De janeiro a novembro, também foram ampliados os mutirões de cirurgias: foram realizados 1.835 procedimentos cirúrgicos em hospitais da região, sendo que 1.033 foram cirurgias de catarata.

A aposentada Marlene Cardoso, de 64 anos, realizou três cirurgias no ano passado por meio de mutirão no Hospital Marieta Konder Bornhausen. Ela fez a retirada de pterígios (crescimento benigno de tecido na córnea do olho) e uma cirurgia para controlar a evolução de um glaucoma (lesão do nervo óptico que pode provocar a cegueira). Na sexta-feira (17) ela realizou uma nova cirurgia de pterígio pelo Sistema Único de Saúde (SUS) do município.

“Sempre fui muito bem atendida, tanto no posto de saúde quanto no hospital. No ano passado, a unidade me encaminhou e consegui fazer todas as cirurgias pelo SUS. O atendimento foi excelente, tinham várias pessoas fazendo também”, conta.

Segundo Marlene, os mutirões são fundamentais para atender com agilidade a população. “É muito importante pra gente que não tem condições de pagar um médico ou remédios. Sempre que preciso vou no posto de saúde e sou bem atendida”, destaca.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA