O Município de Itajaí, por meio da Fundação Getúlio Vargas (FGV), elaborou um importante projeto de reforma administrativa, que trará uma economia anual superior a R$ 10 milhões. O objetivo é enxugar a máquina pública, com a redução de secretarias, fundações e 247 cargos em comissão, profissionalizando ainda mais os atendimentos aos cidadãos itajaienses.

Das 35 pastas existentes hoje, apenas 25 serão mantidas após a reforma (17 secretarias, 06 fundações ou autarquias e gabinetes do prefeito e vice). Com a medida, o resultado será maior integração entre as secretarias, redução de cargos (muitos do primeiro escalão), redução do custo da folha de pagamento de comissionados, racionalização da distribuição de cargos e correção de distorções nas atribuições de cada um deles.

Com a reorganização administrativa, a máquina pública terá redução de 28% em cargos comissionados: de 885 para 638. Isso refletirá em uma economia mensal de 13% na folha de pagamento. No ano, o município terá poupado R$ 10,3 milhões para investir em melhorias à população.

"Esses recursos economizados serão redistribuídos em políticas públicas, em obras sociais e de infraestrutura. Vamos aplicar esses valores naquilo que a população mais precisa", afirma o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni. 

Outra mudança prevista é a valorização dos servidores efetivos da Educação com a transformação dos cargos comissionados da pasta em funções de confiança. Na prática, isso significa que os cargos de diretor, diretor adjunto e supervisor educacional serão ocupados, obrigatoriamente, por servidores efetivos.

A reforma administrativa ainda define novas nomenclaturas para cargos comissionados e redução nos salários. O projeto será enviado para votação da Câmara de Vereadores ainda em dezembro e, com a aprovação, deverá ser implantado a partir de fevereiro de 2019.

Secretarias e fundações: o que muda?

Duas secretarias serão integradas a pastas já existentes. É o caso da Habitação, que se unirá ao Urbanismo, e da Pesca, que será vinculada ao Desenvolvimento Econômico. Ao invés de quatro cargos de superintendentes, as fundações Cultural, Genésio Miranda Lins, Esporte e Lazer e a Feapi serão comandadas por uma única chefia.

Outra importante mudança é a extinção dos quatro cargos de coordenadores regionais, os populares subprefeitos, cuja remuneração equivale a de secretário. A Secretaria de Relações Institucionais e Temáticas também será extinta e as funções serão desempenhas pela Secretaria de Promoção da Cidadania – nova nomenclatura da Secretaria da Criança, do Adolescente e da Juventude.

A atual Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão passará a se chamar Secretaria de Governo e a Fundação Municipal do Meio Ambiente de Itajaí será o Instituto Cidade Sustentável.

NOVA ESTRUTURA

1. Gabinete Prefeito

2. Gabinete Vice-Prefeito

Secretarias Municipais

1. Controladoria Geral

2. Procuradoria Geral

3. Administração e Gestão de Pessoas

4. Secretaria de Fazenda

5. Centro Tecnológico de Informação e Modernização Administrativo

6. Governo

7. Saúde

8. Educação

9. Assistência Social

10. Promoção da Cidadania

11. Segurança Pública

12. Comunicação Social

13. Desenvolvimento Econômico

14. Desenvolvimento Urbano e Habitação

15. Turismo e Eventos

16. Obras e Serviços Municipais

17. Agricultura e Expansão Urbana

Administração indireta

1. Instituto da Previdência de Itajaí

2. Semasa

3. Porto

4. Itajaí Participações

5. Instituto Cidade Sustentável

6. Superintendência Administrativa das Fundações (FMEL, FCI, FGML e Feapi)


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA