Há uma semana, foi entregue pelo prefeito de Camboriú, Élcio Rogério Kuhnen, ao prefeito de Balneário Camboriú, Fabrício Oliveira, o projeto para a construção de uma rede no município.

Entre as possibilidades analisadas, uma das alternativas sugeridas é que Camboriú, por meio da concessionária Águas de Camboriú, fique responsável pela construção e operação da rede coletora de esgoto. E Balneário Camboriú, por meio da Emasa, faça o tratamento do esgoto. "Estamos tratando não só da questão do saneamento de Camboriú, mas também buscando soluções para a reservação da água, atendendo assim, todo o ciclo do saneamento", falou o diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber.

Outros encontros serão marcados para tratar também das questões legais e do levantamento financeiro, inclusive, com a sugestão de buscar apoio via consultoria da AMFRI, para que os dois municípios possam avançar no esgotamento sanitário de Camboriú. Na ocasião, foi tratado ainda a necessidade do aumento da reservação de água, que incluem o Parque Linear e a construção do Parque Inundável.

"Temos interesse em resolver a questão do saneamento de Camboriú e não afastamos qualquer possibilidade de trabalharmos em conjunto com Balneário Camboriú, com o objetivo de trazer o melhor resultado à região", disse o presidente da Águas de Camboriú, Carlos Roma Júnior.

Participaram da reunião, o diretor-geral da Emasa, Douglas Costa Beber, o diretor-técnico, Sérgio Juk, o analista químico Caio Cardinalli e a fiscal de saúde pública Tânia Pedrelli; além do presidente da Águas de Camboriú, Carlos Roma Júnior, e o coordenador de operações da concessionária, Gabriel Balparda Fasola.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA