O trabalho conta com auxílio de um robô, que percorre as tubulações de drenagem em busca de ligações irregulares de esgoto. Na última semana, quatro pontos de redes clandestinas foram lacrados e o programa “Se Liga na Rede” vistoriou 31 imóveis, onde 14 apresentaram alguma irregularidade. Desde dezembro do ano passado, a praia já conta com rede coletora de esgoto.

Para que o robô possa entrar em ação, equipes da EMASA e da Secretaria de Obras, com auxílio de retroescavadeira, caminhão hidrovácuo e caçambas fazem o trabalho de desobstrução da rede de drenagem. Desde a última semana, o trabalho está concentrado numa tubulação que inicia na Rua Atenor Bonifácio Cardoso. “Ainda não conseguimos colocar o robô nesta rede, porque estava muito obstruída. Em apenas um dia, tiramos dois caminhões de entulho do local. Tinha garrafa pet, bola, lodo e outras sujeiras que deveriam ser descartadas em fossa e que estão sendo jogadas pela população na rede de drenagem”, contou o técnico em edificações da EMASA, Everson Clayton Tortato, que acompanha os trabalhos. Nesta tubulação de drenagem, já foram encontrados quatro pontos onde outras redes se conectam. 

Após a desobstrução da rede, o robô que é totalmente blindado, entra na tubulação. Ele é controlado por uma estação que fica no veículo da empresa responsável pelo serviço, a Azimute Tech, de Joinville. Da estação, é possível ver as ligações irregulares e se elas são de esgoto. 

Paralelo ao trabalho da equipe técnica da EMASA e da Secretaria de Obras, os técnicos do programa “Se Liga na Rede” estão percorrendo os imóveis, também para localizar ligações irregulares. Dos 31 imóveis vistoriados, 14 deles apresentaram 20 irregularidades: imóveis sem caixa de gordura ou com ligação irregular na caixa de gordura; não conectados na rede de esgoto ou parcialmente ligados. “O serviço é executado através de teste de fumaça e lançamento de corantes na rede coletora de esgoto. Quando encontramos irregularidades, damos prazo para que seja feita a adequação. Após esse período fazemos reinspeção e caso as inadequações não tenham sido sanadas o imóvel é intimado com prazo de 30 dias para regularização. Após esses prazos, se o problema persistir, é lavrado auto de infração”, explicou a fiscal sanitarista do programa, Beatriz Nunes.

Reivindicação dos moradores há mais de 30 anos, a rede coletora de esgoto está funcionando desde dezembro na Praia de Laranjeiras. Atualmente, mais de 90% da população de Balneário Camboriú tem atendimento da rede coletora de esgoto. No Bairro dos Municípios estão sendo implantados 7,5 km de rede e nos bairros São Judas Tadeu e Barra mais 9,2 km. Em abril de 2017, foram entregues 20 km nos bairros Nova Esperança, Loteamento Shultz e Parque Bandeirantes.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA