Itajaí - Quantos sentimentos e palavras não ditas um sorriso é capaz de traduzir? Mensurar o impacto do sorriso na vida de quem o emite e quem o recebe é tarefa difícil, mas todos sabemos dos benefícios que este ato traz. Avaliar, zelar e orientar para que os assistidos cuidem da saúde bucal, estas são as principais atividades do grupo do projeto de extensão "Tutores do Sorriso", vinculado ao curso de Odontologia da Universidade do Vale do Itajaí (Univali) que atua, na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Itajaí.

O trabalho vai muito além de ensinar os alunos da entidade a escovarem os dentes. Funcionários, professores e familiares são contemplados com palestras, atividades lúdicas, orientações, de educação em saúde e prevenção. As atividades aplicam-se a todas as idades e em vários ambientes da sede da Apae Itajaí, desde a sala de escovação, as salas de aula, até o pátio.

A parte curativa, de baixa complexidade, ocorre no consultório estruturado pelos próprios alunos de Odontologia, em uma ação entre amigos feita para arrecadar recursos com este fim. No local, uma dentista cedida pelo Município de Itajaí e duas egressas da Univali atendem, uma vez por semana. Os procedimentos de média complexidade são encaminhados para os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) de Itajaí e da Univali. E, recentemente, o grupo obteve liberação para os procedimentos de alta complexidade, que exigem sedação do paciente, serem feitos no Hospital Infantil Pequeno Anjo.

A professora Mara Lúcia Campos, do curso de Odontologia e coordenadora do projeto, explica que a iniciativa nasceu há dois anos e foi proposta pelos próprios alunos que, sabendo da sua experiência na área, a convidaram para auxiliar. A ideia ganhou força e adesão de um grupo significativo de estudantes e a partir daí, neste ano, tornou-se projeto de extensão. "Hoje vemos uma evolução muito grande em relação à saúde dos assistidos. No projeto reunimos ensino, pesquisa e extensão. Temos alunos do 1º ao 9º período, praticamente todos os dias, na Apae", ressalta.

Jhenyfer Santos, estudante do 8º período do curso de Odontologia, acredita que a participação no projeto faz com que os acadêmicos passem a enxergar não apenas os problemas bucais das pessoas, mas entendam e busquem promover a saúde e o bem-estar do paciente de forma integral. Ela crê que este trabalho permitirá diferencial em vivência clínica e na carreira profissional dos envolvidos. "Quando chegamos aqui, o único sentimento que conseguimos transmitir e receber é amor".


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA