Enquanto funcionários da Conlog, distribuidora oficial da Ambev em Santa Catarina, ameaçam iniciar uma greve nesta semana, a concorrente, Heineken N.V, anunciou a conclusão da transação para adquirir a Brasil Kirin. Com a compra, a Heineken se torna a segunda maior cervejaria do Brasil. Em maio, a companhia recebeu a aprovação regulamentar necessária do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) para a aquisição e a transação foi aprovada sem qualquer restrição.

O portfólio da Heineken ficará mais forte, com marcas que vão acelerar a premiunização, como Heineken, Sol, Baden Baden e a catarinense Eisenbahn. Ao mesmo tempo, esse novo portfólio permitirá um crescimento maior de marcas bem consolidadas como Schin, Bavaria, Kaiser, Amstel e Devassa nos segmentos mainstream, e marcas de não alcoólicas, como Viva Schin, Itubaína e Água Schin.

A Heineken afirma que pretende alavancar o sistema de distribuição da Brasil Kirin para comercializar o portfólio da empresa no futuro. Atualmente, os produtos Heineken Brasil são distribuídos pelos engarrafadores da Coca Cola no Brasil. A equipe de liderança da nova organização está sob o comando de Didier Debrosse, que segue como presidente da companhia.

Funcionários da Ambev ameaçam entrar em greve

No total, 45 funcionários da Conlog, entre motoristas, ajudantes e operacional da empresa pedem aumento de salário e vale alimentação, além de melhorias nas condições de trabalho. Na última semana, a Conlog apresentou uma contraproposta, mas os trabalhadores não aceitaram. A empresa tem o prazo até esta terça-feira (13) para apresentar uma nova proposta que será discutida durante assembléia. Caso não seja aceita, os funcionários devem iniciar a paralisação dos trabalhos. 


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais