A pesquisa elaborada pelo Observatório da Indústria Catarinense da FIESC com 905 empresas, nos dias 28 e 29 de Maio, revelou que 86% delas foram muito ou quase que totalmente afetadas. Apenas 1,4% afirmaram que não foram impactadas pela greve. Os maiores efeitos foram sentidas pelas grandes empresas, com 30% delas totalmente afetadas (paralisada). Os setores que mais sofreram impacto pela falta de transporte de carga foram o Agroalimentar, Bens de Capital, Automotivo e Químico. Os prejuízos financeiros também foram substanciais, cerca de 47% das empresas estimaram perdas acima de 20% do faturamento mensal.


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais