Temer e Putin posam para foto durante reunião no Kremlin (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters )

O presidente da República, Michel Temer, reuniu-se por mais de 2 horas com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, nessa quarta-feira (21), no Kremlin, em Moscou. Na oportunidade, o brasileiro afirmou que os juros praticados pelo Banco Central vão "em brevíssimo tempo" cair à casa de 1 dígito.

O encontro bilateral foi o primeiro desde o início da gestão do brasileiro. Em um rápido diálogo aberto aos jornalistas, Putin lembrou que a cooperação bilateral é estreita tanto no interior dos Brics, quanto no G-20, e que o Brasil "é um dos principais parceiros na América Latina".

O presidente russo lamentou a queda no comércio bilateral em 2016 e disse que os dois países devem trabalhar para aprofundar as trocas.

Temer afirmou que está em sua quarta visita a Moscou e em um segundo encontro com Putin. E que os resultados têm sido "sempre muito positivos".

— Temos economias parecidas.

O presidente mencionou ainda as reformas em curso — sem fazer alusão alguma à reforma trabalhista, que enfrentou uma derrota na terça (20) na Comissão de Assuntos Sociais do Senado —, o combate à inflação e a política de juros.

— Em brevíssimo tempo teremos juros de 1 dígito no País.

Atualmente, os juros básicos da economia (taxa Selic) estão em 10,25% ao ano — houve redução de 1 ponto percentual na última reunião do Banco Central, realizada no final de maio.

Temer defendeu ainda um diálogo franco e aberto no G-20 e no grupo de grandes emergentes BRICS, além das Nações Unidas, "onde nós defendemos sempre as mesmas teses".

Ao final da reunião, Temer e Putin farão uma declaração conjunta e assinarão acordos bilaterais.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais