Uma noite de alegria, mas acima de tudo de beleza, harmonia e leveza. Assim foram as apresentações dos 14 municípios no primeiro dia da dança (categoria danças folclóricas) dos Jogos Abertos da Terceira Idade (JASTI),  no último dia 18 de maio, em Blumenau. O Grupo Cultural Fios de Prata, de Itajaí, conquistou o terceiro lugar na categoria "danças folclóricas". 

Após as apresentações Florianópolis saiu consagrado como o primeiro município a levantar um troféu de campeão dos Jasti 2017. Já Criciúma fechou a noite na segunda colocação com a coreografia “Galopeiras em uma gran fiest”. Itajaí garantiu o terceiro lugar com a obra “Viva o México!”, do coreógrafo e coordenador Luciano Pinheiro dos Santos. 

Luciano, que há 20 anos é professor de dança de salão, está a frente do Grupo Fios de Prata há pelo menos 17 anos. Atualmente o grupo é formado por 12 mulheres com idades entre 60 e 84 anos. No Jasti, participam desde 2008, sendo classificados duas vezes para a etapa estadual e campeões em 2009 na categoria "Dança Coreográfica". 

Para 2017, Luciano se inspirou na cultura mexicana. "Toda coreografia é elaborada a partir de pesquisa, principalmente quando se trata de dança popular. Já desenvolvemos diversas coreografias em várias etnias: russa, indiana, espanhola, portuguesa, brasileira, mas sempre respeitando o limite de cada participante", comenta o coreógrafo. Como o grupo é bem amplo quanto à idade (60 a 87 anos), Luciano preocupa-se em  criar movimentos que contemplem todos os participantes, para que sejam executados por todos, sem restrição.


Fios de Prata

O Grupo Cultural Fios de Prata nasceu em 2000 e desde então já conquistou diversos prêmios em festivais de dança nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. O principal objetivo é proporcionar ao idoso uma melhora em sua condição motora, aumento da auto estima, e principalmente torná-lo ativo na sociedade. 



COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais