O presidente do Observatório Social de BC, Estácio Pereira Filho, foi quem comandou o bate papo com o público, apresentando dados que demonstram a ineficiência no uso da verba pública. O evento faz parte da programação do Feirão do Imposto, organizado pelo Núcleo Jovem Empreendedor da Acibalc, em parceria com o Cejesc e a Conaje.

De acordo com presidente do Observatório, o objetivo principal do setor público é distribuir a arrecadação de forma proporcional, atendendo as necessidades de cada área, entretanto, segundo ele, não é o que ocorre em nenhuma das cidades do país. "Cabe a nós, contribuintes, a fiscalização e engajamento. É necessário que o empresário e a população como um todo tenham um espírito crítico sobre a aplicação das verbas públicas", destaca Estácio.

Entre os dados apresentados na palestra, estão as despesas da Câmara de Vereadores de BC, que somente em 2017 gastou R$ 14,2 milhões com despesas internas. Deste montante, R$ 6,9 milhões foram para folha de pagamento dos vereadores e dos assessores de gabinete, sendo o restante para os demais efetivos e manutenção da casa legislativa. Da mesma forma acontece com a Prefeitura, onde toda a arrecadação está comprometida para os pagamentos dos servidores, impossibilitando a contratação de novos profissionais em setores com carência de efetivos.

A Coordenadora do Núcleo Jovem, Kátia Tonioti, destaca o quanto o evento foi rico em conteúdo e a importância de a população saber onde está sendo empregado o dinheiros dos impostos. "É desta forma, com este tipo de informação, que podemos contribuir e assumirmos um papel de cobrança para o retorno desses recursos de outras formas, com consciência. Todos tem a responsabilidade de fiscalizar", diz.

Ainda dentro da programação do Feirão do Imposto estão ações didáticas, que serão realizadas neste sábado, dia 19, no Supermercado Koch, em Camboriú. No local, haverá demonstrativos dos impostos pagos pela população e o quanto destas arrecadações são destinadas e empregadas em ações para benefício público. "Também faremos um demonstrativo da quantidade de produto que é equivalente aos impostos pagos. Por exemplo, se retirarmos a quantidade equivalente aos impostos pagos de uma garrafa de água de 500 ml, restariam apenas 310 ml do produto", finaliza Katia.

COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais