A Prefeitura de Balneário Camboriú pretende criar um espaço cultural indígena na Praça Higino Pio. No local, deverá ser destinada uma área para a venda de artesanato e manifestações artísticas de kaingangs, guaranis e pataxós. Na sexta-feira (12), ocorreu a primeira reunião entre representantes dos kaingangs, Fundação Nacional do Índio (Funai), Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, Fundação Cultural, Departamento de Resgate Social, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Associação de Micro e Pequenas Empresas (AMPE). O encontro visou disciplinar a venda de artesanato indígena em Balneário Camboriú.


A intenção é retirar os indígenas das calçadas da Avenida Brasil e de outros pontos e oferecer um lugar adequado a eles. A partir de agora, um projeto de uso da Praça Higino Pio será elaborado. Após a conclusão, a proposta será apresenta à comunidade indígena na Funai de Iraí (RS), de onde são muitas das famílias que se instalam no município para comercializar artesanato.


“Vamos levar o projeto e discuti-lo com a comunidade”, disse o diretor-geral da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, Elias Alcides Luciano. Encontros semelhantes serão realizados com indígenas das outras etnias.


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais