Tão jovem, mas passou, recentemente, por uma grande batalha. Ela descobriu em 2015, que estava com um tumor volumoso em uma das mamas, um câncer agressivo, que evoluiu de forma acelerada. Um susto na vida dela, da família e da filha que tinha somente 3 anos de idade.  " Eu estava deitada na cama e minha filha brincava de pular em cima da cama, quando caiu sobre mim. Foi quando eu apalpei um pouco mais forte meu peito e senti um caroço bem pequeno", relata sobre o momento que percebeu algo diferente em seu corpo.

Sem perder tempo, Scheila conta que foi ao médico rapidamente, mas o tumor cresceu muito em apenas dois meses. " Eu fazia um tratamento com hormônio, o que foi um alimentador para o meu problema", conta. " O drama maior era o medo de não conseguir acompanhar o crescimento da minha filha, de ter que deixá-la sem o amparo de mãe".

E assim como a Scheila, milhares de mulheres brasileiras recebem o mesmo diagnóstico todos os anos. Dados do Inca - INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER - apontam que somente em 2016, foram registrados 57.960 casos de câncer de mama no Brasil. O Inca indica ainda que 14. 206 mulheres não resistiram a doença e morreram vítimas do câncer de mama em 2013. Números altos que servem de alerta.

Os médicos afirmam que pessoas que têm em sua rotina o costume de fumar, ingerir bebida alcoólica, consumir abundantemente alimentos industrializados ou gordurosos estão mais expostas a doenças, entre elas o câncer. " E isso não é papo de médico. As pesquisas mostram todos os dias que o cigarro, por exemplo, é responsável por pelo menos 30% dos casos de câncer. Além disso, sabemos que uma rotina saudável, com exercícios físicos, alimentação balanceada e menos estresse possibilitará às pessoas mais qualidade de vida", pontua Giuliano Borges, médico oncologista.

Para se ter uma ideia, de acordo com o Inca, o consumo de carnes processadas - como presunto e salsicha, por exemplo - podem causar câncer devido ao processamento industrial, como a defumação e adição de conservantes, verdadeiros venenos para a saúde. Ligado a isso, está o excesso de peso que pode provocar o desenvolvimento de câncer de cólon e reto, mama, ovário e próstata, tipos de câncer que estão na lista dos mais incidentes no Brasil.

Claro que há os casos hereditários. E está aí uma boa maneira de fugir da doença, mesmo com toda a carga genética, mantendo hábitos de vida saudáveis com refeições completas, exercícios físicos regulares e exames de rotina. A prevenção entra, novamente, como aliada da saúde e inimiga da doença, já que esses fatores de risco aumentam as chances do câncer e hábitos saudáveis podem evitar o diagnóstico.

Foi o que aconteceu na vida da Scheila. Depois de realizar todas as sessões da quimioterapia, passar pela cirurgia de retirada e reconstrução das mamas e estar curada, ela mudou a rotina. Passou a se alimentar melhor e pensar, principalmente, na saúde da filha, que hoje está com 5 anos. "Eu acordo todos os dias agradecendo a Deus pela oportunidade que tive, muita gente, nessa caminhada contra o câncer, não consegue vencer a batalha. Acredite em você, que é capaz de superar e vencer a doença, porque é possível, especialmente, alterando os hábitos", diz emocionada.


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais