Obstrução por grama ou outros objetos; cachorro; hd sujo. Esses são apenas alguns dos problemas enfrentados, diariamente, pelos cerca de 20 leituristas do Semasa, que realizam, todos os meses, a leitura de 52 mil ligações de água, em Itajaí. Humberto Zanella, leiturista há 11 anos, faz um apelo à população: "Cidadão, coloque-se no lugar do leiturista! Vá pra fora da sua casa e veja se você consegue ler os números pretos do seu hidrômetro. Se você não conseguir, o profissional da autarquia também não conseguirá.

Com essas dificuldades, não são raras as vezes que a marcação de leitura é inviabilizada ou até feita de forma equivocada. Para auxiliar nesses processos, o Semasa começou a disponibilizar, neste mês, um espaço no verso da fatura para que o cliente anote a sua leitura atual e auxilie nos casos de impossibilidade de leitura e/ou quando a mesma for feita de forma equivocada. "O cliente, em caso de dúvidas, pode fazer essa anotação para confrontar com a leitura realizada e esclarecer algum problema na execução do serviço", informa Larissa Cascaes, Gerente de Atendimento do Semasa. Com isso, a estimativa é de que 50% dos casos possam ser solucionados de forma imediata. 

Outro orientação da autarquia é para que o cliente não mexa na estrutura do hidrômetro. "Muitas vezes os moradores pintam e até furam os equipamentos. Salientamos que o hidrômetro é de propriedade do Semasa. Cada um possui uma numeração que o identifica e isso também deve ser preservado pelos seus consignatários", enfatiza Larissa Cascaes. 

O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)

Entre em contato também pelo WhatsApp: (47) 9 9969-1277


COMENTE ESSA HISTÓRIA