O vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e prefeito do município alagoano de Boca da Mata, Gustavo Feijó, foi alvo da Operação Bola Fora, realizada pela Polícia Federal nesta sexta-feira (9).

A ação investiga um suposto uso de caixa 2 no valor de R$ 600 mil para a campanha eleitoral de Feijó. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas a pedido do Ministério Público Eleitoral, em quatro endereços no Estado.

Durante a operação, o filho do vice da CBF, que é presidente da Federação Alagoana de Futebol (FAF), foi preso em flagrante por posse ilegal de arma. Ele foi levado para a sede da PF em Maceió para prestar depoimento. No entanto, pode ser liberado após o pagamento da fiança.

"É natural. Os policiais estão cumprindo com seu dever. Eles estão dando cumprimento a mandados oriundos de denúncias feitas pelo Romário na CPI do Futebol", disse Gustavo Feijó em entrevista ao site "TNH1".

A operação é um desdobramento da CPI do Futebol, comandada pelo senador Romário Farias, iniciada em 2015 para investigar supostas irregularidades em contratos assinados pela CBF. Na comissão, foram encontrados e-mails entre Feijó e o presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, então vice, nos quais discutiam contribuições para a campanha de 2012.


O que você achou desta notícia? Deixe sua opinião na seção de comentários abaixo.

Quer receber as notícias em primeira mão?

Participe do nosso canal no Telegram:

https://t.me/manchetedovale (@manchetedovale)


COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais