Na sessão desta terça-feira (23), o Vereador Otto Luiz (PRB) fará moção de homenagem à família da Professora Clarinda Pezzini de Souza. Italiana, ela veio ao Brasil quando pequena estudou e tornou-se uma das primeiras professoras em Itajaí, iniciando suas atividades no bairro Salseiros. Em 1978, Clarinda assumiu a Coordenadoria Municipal de Educação de Itajaí. Dona Clarinda Pezzini de Souza faleceu no dia 16 de setembro de 2016 e, na 29ª Sessão Ordinária, seus três filhos serão homenageados.

Abaixo segue texto da moção, de autoria de Gabriel Silva, baseado nas informações dadas pelos familiares.

As cidades não eram ainda feitas de construções de concreto, nem cheias de veículos, quando Eugênio Pezzini e Rosa Montagna Pezzini alegraram-se com a chegada de Clarinda Pezzini ao mundo. Era o dia 18 de março de 1927. A pequena mudou-se para Itajaí com seus pais e seus 11 irmãos em 1934. Fixaram residência na Zona Rural, na antiga Toca da Onça, hoje chamado de bairro São Roque. Seu pai a pegava no colo e a embalava em seus braços dizendo: essa menina vai ser nossa professora. Alguns anos se passaram e a família italiana mudou-se para o bairro Cordeiros.

Até os dez anos de idade, a menina Clarinda falava apenas o italiano, sua língua nativa. Foi aprender o português quando ingressou na escola, em 1937. Na instituição de ensino, lugar do saber, Clarinda passou por constrangimentos, já que havia discriminação em relação aos imigrantes. Apesar de ser a criança estrangeira, sempre foi uma aluna que se destacou por sua responsabilidade e compromisso aos estudos.

Aos 17 anos, Clarinda tornou-se professora. Iniciou suas atividades na Escola Isolada de Salseiros, no dia 14 de agosto de 1944. Em 1945, atuou na Escola Mista Municipal de Espinheiros de Cima. Em 1946, ensinou na Escola Mista Municipal de Espinheiros de Baixo. Em 1947, lecionou na Escola Mista Municipal de Cordeiros.

A professora, após tanto ensinar, encontrou alguém com quem aprender e, em 1955, Arnoldo de Souza tornou-se seu esposo. Em 1966, Clarinda passou a ensinar na Escola Básica Antônio Ramos. Após compartilhar seus conhecimentos em tantas unidades de ensino, a professora Clarinda assumiu, em 1978, a coordenadoria Municipal de Ensino de Itajaí. Foi coordenadora do Movimento Brasileiro de Alfabetização, professora de educação moral e cívica e professora do supletivo.

Seu pai não falava fluentemente o português, então Clarinda participava dos negócios da família, tornando-se a Matriarca da Família Pezzini. O pai faleceu cedo, e nos momentos livres, a professora Clarinda trabalhava na agricultura e pecuária para ajudar no sustento de sua família.

A família de Clarinda e Arnoldo cresceu. Tiveram três filhos, cinco netos e três bisnetos. Ela participava ativamente do Sagrado Coração de Jesus, ensinou bons valores na catequese e recebeu, com braços e coração abertos, muitos afilhados de batismo e casamento.

Sua vida foi marcada por obras sociais e dedicação com os menos favorecidos. Ajudava na educação, moradia, saúde, trabalho. Prestava serviços de informação e acompanhamento de aposentadoria para os que solicitavam. Participou da história política de Itajaí.

Para a professora Clarinda, educar nunca foi apenas ensinar a ler e a escrever, mas ensinar a viver conquistando a dignidade, solidariedade, respeito e lealdade para o exercício da cidadania.

Depois de toda sua história linda de vida, Deus, em toda sua excelência e soberania precisou de ajuda nos céus. Olhou para a terra e selecionou a professora Clarinda para lecionar aos anjos. Nesta terra, ela deixou pegadas pacíficas e auxiliadoras, amando o próximo e trabalhando para o crescimento da comunidade. Dona Clarinda Pezzini de Souza faleceu no dia 16 de setembro de 2016.



COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais