Os protestos dos caminhoneiros contra o aumento do diesel continua nas rodovias de Santa Catarina, chegando ao 5º dia nesta sexta-feira (25). O presidente da República, Michel Temer (MDB), anunciou que acionou as forças federais de segurança para desobstruir as estradas, e pediu que os governadores façam o mesmo. O governo de Santa Catarina deve se pronunciar às 15h sobre o assunto.

Neste início de manhã, são pelo menos 107 pontos de manifestações, apesar do acordo anunciado na noite de quinta (24) para suspender paralisação por 15 dias. A greve também continua em outros estados.

Foram alterados os horários da circulação de ônibus de transporte público coletivo de cidades da Grande Florianópolis, de Criciúma e Itajaí. Trânsito, supermercados, hospitais, abastecimento de água e de alimentos, indústrias e a rede de ensino de algumas cidades estão sendo afetados.

Combustível

No estado, ao menos 90% dos postos estão sem combustíveis, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina (Sindipetro/SC). No Oeste catarinense, por exemplo, São Miguel do Oeste e São Lourenço do Oeste registram total falta de abastecimento. Em Florianópolis, Itajaí, Criciúma, Tubarão e Blumenau o desabastecimento é parcial.

Em Florianópolis, pessoas fazem fila a pé para comprar combustível em postos.

Dois postos de combustível são interditados durante fiscalização do MPSC e Procon em Florianópolis

Alimentos

A Diretoria das Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa-SC), em Florianópolis, tem desabastecimento de cerca de 80%. A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) informou que já há falta de vários produtos nos supermercados. O Procon de Santa Catarina autorizou os estabelecimentos a limitarem a quantidade do mesmo produto que pode ser comprada por cliente.

Procon de SC autoriza supermercados a limitarem quantidade de produtos por cliente.

Transporte público

Em Florianópolis, o transporte coletivo convencional funciona nesta sexta com o quadro de horários de sábado e horário de dias úteis para o transporte executivo. No sábado, o transporte coletivo será com horário de domingo. Blumenau e Criciúma também estão com horários alterados.

Aeroportos

O Aeroporto Hercílio Luz, em Florianópolis, deve funciona normalmente nesta sexta (25), informou a empresa que administra o terminal. Porém, com o desabastecimento dos combustíveis, a situação pode se agravar a partir de sábado (26). Em Jaguaruna, as operações estão normais, mas devem ser afetadas domingo, conforme a administração. Até quinta-feira, as operações estão normalizadas nos aeroportos de Chapecó, Joinville, Lages e Navegantes.

Saúde

As cirurgias eletivas (que foram agendadas) serão suspensas a partir desta sexta (25) na rede estadual. O anúncio foi feito pela Secretaria de Saúde. O estado tem 13 hospitais próprios. Os procedimentos cirúrgicos serão reagendados. A rede filantrópica e privada também registra cancelamentos.

Educação

Universidades e escolas estão com aulas interrompidas. A Universidade do Vale do Itajaí (Univali) suspendeu todas atividades até segunda (28). No Sul do estado, 24 mil alunos foram impactados pela falta de aulas na rede municipal e estadual.

Coleta de lixo e serviços públicos

Em Florianópolis, a coleta seletiva foi suspensa e a comum está garantida até esta sexta. Blumenau e São Joaquim também tiveram serviços afetados. Boa parte das prefeituras do estado interrompeu obras que utilizam máquinas pesadas para garantir gasolina.

Com falta de combustíveis, Comcap reduz a coleta convencional e cancela a seletiva em Florianópolis.

Prefeitura de Brusque decreta situação de emergência por causa da greve dos caminhoneiros.

Indústria

A Aurora de Chapecó e a BRF de Concórdia e Itapiranga suspenderam o abate. Ao menos 20 mil propriedades rurais e 20 indústrias de Santa Catarina foram impactadas pela greve dos caminhoneiros.

Produtores de SC jogam milhões de litros de leite fora por não conseguirem escoar a produção.

Estradas federais

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), há 50 pontos com protestos nas estradas federais. A última atualização foi feita pela PRF à 3h39.

Estradas estaduais

De acordo com o Comando de Policiamento Militar Rodoviário, que disponibiliza um mapa atualizado com os impactos nas rodovias estaduais, são ao menos 57 pontos com mobilização dos caminhoneiros, segundo o boletim das 8h50.

Liminares

a Justiça Federal atendeu na quinta a um pedido da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) e concedeu liminar impedindo que os manifestantes bloqueiem totalmente as rodovias federais do estado. Eles também não podem impedir o tráfego de veículos das empresas associadas à Fiesc.

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) havia entrado com o pedido de liminar na quarta (23). Conforme a entidade, a greve impacta na receita tributária, já que as indústrias vão faturar menos depois da parada da produção e das vendas.

A 2ª Vara Federal de Florianópolis já tinha dado liminar na terça (22) para impedir que as manifestações causem bloqueios nas rodovias federais catarinenses. Sobre essa determinação, a PRF disse que cumpriu a ordem judicial "quando foi necessário".

O acordo

Depois de uma reunião de mais de seis horas com representantes de entidades de caminhoneiros, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Carlos Marun (Secretaria de Governo), Eduardo Guardia (Fazenda) e Valter Casimiro (Transportes) anunciaram a proposta do governo de um acordo para a suspensão da paralisação da categoria.

Pelo texto do acordo, os representantes das entidades de caminhoneiros que ficaram até o final da reunião se comprometeram (à exceção de um) a "apresentar aos manifestantes" os termos do acordo.

Questionado se, com o anúncio, haverá normalização da situação, Padilha disse acreditar que a "qualquer momento" o movimento dos caminhoneiros começará a ser "desativado".

O ministro prevê que, até segunda-feira (28), estará normalizada a situação nas rodovias.

COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais