O decreto estabelece a faculdade do Executivo nacional para que adote "as medidas urgentes, contundentes, excepcionais e necessárias, para assegurar à população o desfrute pleno de seus direitos, preservar a ordem interna, o acesso oportuno a bens, serviços, alimentos, medicinas, e outros produtos e serviços".

COMENTE ESSA HISTÓRIA

Exibir mais